top of page
Vista aérea do rio

Blog

Seca fica mais branda no Centro-Oeste e no Sudeste segundo Monitor de Secas

Áreas com seca voltaram a ser registradas em três estados e aumentaram em outras sete unidades da Federação. Em nove estados as áreas com seca diminuíram, enquanto o Ceará e o Paraná deixaram de registrar o fenômeno em março. Em quatro estados a área com seca permaneceu estável.


Entre fevereiro e março, em termos de severidade da seca, houve uma intensificação do fenômeno no Rio Grande do Sul e em Rondônia, conforme a última atualização do Monitor de Secas. Em outros dez estados, a seca ficou mais branda: Acre, Amazonas, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Rio Grande do Norte, São Paulo e Tocantins. Duas unidades da Federação ficaram livres do fenômeno em março: Ceará e Paraná. A seca ficou estável em termos de severidade em sete estados: Alagoas, Bahia, Maranhão, Pernambuco, Piauí, Santa Catarina e Sergipe. Já no Distrito Federal, Espírito Santo e Rio de Janeiro a seca voltou a ser registrada em março.


Considerando as quatro regiões integralmente acompanhadas pelo Monitor de Secas, o Nordeste registrou a melhor condição, assim como nos últimos meses, apresentando seca fraca em 24% de seu território em março. O Sul teve a maior intensidade do fenômeno com seca extrema em 11% de sua área. Tanto no Sudeste quanto no Centro-Oeste, houve um abrandamento do fenômeno entre fevereiro e março, devido à redução da seca grave em ambas as regiões.



Na comparação entre fevereiro e março, oito estados tiveram uma diminuição da área com seca: Acre, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Rio Grande do Norte, Rondônia, São Paulo. No Paraná e no Ceará o fenômeno deixou de ser registrado em março. As áreas com seca se mantiveram estáveis em março em quatro estados: Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Sergipe. Em outros sete estados houve aumento da área com o fenômeno: Bahia, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Piauí, Santa Catarina e Tocantins. Em três unidades da Federação a seca voltou a ser registrada: Distrito Federal, Espírito Santo, Rio de Janeiro.


As cores do gráfico indicam as regiões CENTRO-OESTE, SUDESTE, NORDESTE, SUL e NORTE

Dois estados registraram seca em 100% do território em fevereiro: Distrito Federal e Rio Grande do Sul; sendo que para percentuais acima de 99% considera-se a totalidade dos territórios com seca. Nas demais unidades da Federação os percentuais variaram de 0% a 76%.



As cores do gráfico indicam as regiões CENTRO-OESTE, SUDESTE, NORDESTE, SUL e NORTE

Com base no território de cada unidade da Federação acompanhada, o Amazonas lidera a área total com seca de fevereiro, seguido por Mato Grosso, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Goiás. No total, entre fevereiro e março, a área com o fenômeno aumentou de 3,23 milhões de quilômetros quadrados para 3,38 milhões de km², o equivalente a 40% do território brasileiro.

As cores do gráfico indicam as regiões CENTRO-OESTE, SUDESTE, NORDESTE, SUL e NORTE





4 visualizações