top of page
Vista aérea do rio

Blog

Brasil será sede de congresso internacional de Educação Ambiental em 2025

Encontro em Moçambique reuniu cerca de mil pessoas de nove países sob o tema 'Educação Ambiental: a chave para a Sustentabilidade'
Marcos Sorrentino, diretor do MMA. Foto: VIIcongressoEA/Facebook

O Brasil vai abrigar em 2025 o VIII Congresso Internacional de Educação Ambiental dos Países e Comunidades de Língua Portuguesa e Galícia. A candidatura foi aprovada por aclamação durante o VII congresso, realizado neste mês em Maputo, Moçambique.


O anúncio simboliza a retomada das políticas de educação ambiental no Brasil, após quatro anos de desmonte. O país levou uma das maiores delegações para Moçambique.


Além do governo federal, participaram do encontro representantes de redes de educação ambiental, universidades, organizações não-governamentais e movimentos sociais, entre outros. O congresso reuniu cerca de mil pessoas dos nove países de língua portuguesa.


Sob o tema "Educação Ambiental: a chave para a Sustentabilidade", houve mesas de diálogos, painéis, oficinas, minicursos, visitas técnicas e atividades culturais.


O congresso teve a participação do presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, que destacou os desafios enfrentados pelo país com efeitos climáticos extremos, ressaltando a importância de ações de educação ambiental.


Representantes do MMA, do Ministério da Educação (MEC) e da Agência Nacional de Águas (ANA) participaram de reuniões bilaterais e multilaterais para tratar de parcerias nas áreas de pós-graduação, pesquisa e unidades de conservação, entre outras.


Em reunião com a ministra da Terra e Ambiente de Moçambique, Ivete Maibaze, os dois trataram da formalização de uma cooperação bilateral nas áreas de educação ambiental, formação e intercâmbio técnico, Unidades de Conservação e outras áreas protegidas, reciclagem, resíduos sólidos e trabalho de catadoras e catadores.

“Foram dias de partilha, aprendizados e apresentação de propostas, iniciativas, pesquisas, compromissos e sugestões vindas de vários trabalhos, de possibilidades de construção de novos valores e bases culturais, com vistas à promoção de sociedades sustentáveis, em sintonia com o contexto cultural, político e social dos países lusófonos”, disse o diretor de Educação Ambiental e Cidadania do MMA, Marcos Sorrentino, destacando a emergência climática atual. “Para além de uma crise ambiental, é uma crise civilizatória.”

Ele foi ao congresso acompanhado da coordenadora-geral de Educação Ambiental e Cidadania, Thais Ferraresi Pereira. Os representantes do MMA, do MEC e da ANA foram recebidos pelo embaixador do Brasil em Moçambique, Ademar Seabra da Cruz Junior.


FONTE: MMA

22 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page