top of page
Vista aérea do rio

Blog

Iniciativa do MCTI revitaliza parque do Recife com solução inovadora para despoluir riacho

Projeto de cooperação internacional CITinova, coordenado pelo MCTI, implantou jardins filtrantes que podem melhorar a qualidade da água em até 95%

O Recife ganhou, nesta sexta-feira (31), uma solução inovadora e sustentável, que vai contribuir com a despoluição do Riacho do Cavouco, afluente do Rio Capibaribe. No Parque do Caiara, bairro da Iputinga, foi inaugurado o projeto-piloto dos Jardins Filtrantes, que tem a capacidade de filtrar 350 mil litros/dia de água do riacho antes de fluir para o rio. O equipamento também recebeu novas áreas de lazer e convivência.


As obras são a primeira entrega do projeto CITinova no Recife e representam um investimento de cerca de R$ 8 milhões. O projeto é coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) para a promoção da sustentabilidade nas cidades brasileiras por meio de tecnologias inovadoras e planejamento urbano integrado.


“A proposta aqui é não só trazer um ambiente muito agradável, resgatando o contato da população local com a natureza, mas também prover uma modalidade de tratamento dos efluentes do Riacho do Cavouco que desaguam no Capibaribe”, explicou o coordenador-geral de Ciência para Biodiversidade do MCTI e diretor nacional do CITinova, Luiz Henrique Canto.


Iniciativa pioneira, os Jardins Filtrantes ocupam uma área de 7 mil metros quadrados e incluem cinco filtros que operam por gravidade. “A gente fala de inovação e pensa logo em computador. Aqui, a gente está fazendo inovação com planta, com pedra, com a própria natureza”, disse a diretora da Agência Recife para Inovação e Estratégia (Aries), Mariana Pontes. A agência é a instituição local que coordena as ações do CITInova no Recife.


De acordo com ela, hoje, mesmo sem funcionar ainda com 100% da sua capacidade, o sistema já melhorou em 70% a oxigenação da água do riacho que corre para o Rio Capibaribe. A expectativa é que esse percentual chegue a 95%. Com os resultados positivos, será possível influenciar políticas públicas, replicando a iniciativa país afora.


“Vamos acompanhar os resultados da qualidade da água filtrada pelo sistema dos jardins, para que, através de dados, a gente consiga comprovar a eficiência do sistema e influenciar o poder público na ampliação do número de jardins, contribuindo com a melhoria das nossas águas”, defendeu Mariana.


6 visualizações

Comentários