top of page
Vista aérea do rio

Blog

A ÁGUA NOSSA DE CADA DIA


Um dos mais belos encontros de Jesus foi com a Samaritana. - Dá-me um pouco d'água (Jo 4,7).- Como é que tu, um judeu, pedes água a mim, uma samaritana? (Jo 4,9). Ele, o enviado de Deus, pedindo, mendigando um gole d'água. Menos por sede que por amor. Só assim os olhos da alma poderiam varar o muro do preconceito, do ressentimento, e enxergar a luz geradora da vida. Com a Samaritana ele assumiu uma posição de humildade para desarmá-la do preconceito. 


A escassez e o desperdício de água doce representam uma séria e crescente ameaça para o desenvolvimento sustentável e proteção do ambiente. A saúde e o bem-estar do homem, a garantia de alimentos, o desenvolvimento industrial e os ecossistemas dos quais eles dependem estarão todos em risco, se os recursos de água e solos não forem geridos, na presente década, de forma mais efetiva do que tem sido no passado.


É do nosso conhecimento que 60% da superfície terrestre do planeta logo mais experimentarão um desequilíbrio alarmante entre as demandas crescentes de água e a água disponível, provocando conflitos e instabilidade política. A água sendo ensinada pela sede.


Sobre a essencialidade da água para a vida, vale lembrar uma frase coletada pelo poeta inglês Wyston Hugh Auden (1907-1973) na parede de uma penitenciária feminina nos Estados Unidos onde uma prisioneira, talvez revelando uma forma cruel de castigo, escreveu “Thousands have lived without love, not one without water”. Ouso traduzir “Milhares viveram sem amor, ninguém viveu sem água”.


A proposta de desenvolvimento sustentável e a procura de caminhos para convertê-la em realidade representam a visão mais atualizada sobre a relação entre desenvolvimento e meio ambiente. Nesta visão, só há desenvolvimento real quando há equidade social, resultante de um processo distributivo de uma economia ativa, mas praticada com respeito à capacidade de suporte dos ecossistemas.


Compreender a água como bem público e escasso, que deve ser gerenciado de forma descentralizada, integrada e participativa, vem se constituindo um grande desafio para todos os atores sociais envolvidos no processo de gestão, sejam eles técnicos, governantes, usuários e sociedade civil, tendo em vista o caráter historicamente concentrador das políticas de intervenção governamentais no setor.


O desenvolvimento econômico e social está fundamentado na disponibilidade

de água em quantidade e qualidade, na capacidade de conservação e proteção

dos recursos hídricos e no fortalecimento da governança.


É necessário, portanto, um esforço conjunto na ampliação e divulgação do conhecimento para aprimoramento do planejamento e gerenciamento dos recursos hídricos.


O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Sustentabilidade e Ações Climáticas/Diretoria de Recursos Hídricos em parceria com a Associação Brasileira de Recursos Hídricos - ABRHidro,  a Universidade Federal de Sergipe - UFS, a Universidade Tiradentes – UNIT, a Embrapa Tabuleiros Costeiros - EMBRAPA, o Instituto Federal de Sergipe – IFS, realizará o XV Encontro de Recursos Hídricos em Sergipe – XV ENREHSE, no período de 20 a 24 de março de 2023, no auditório da Embrapa, dentro das comemorações alusivas ao Dia Mundial da Água celebrado mundialmente no dia 22 de março, que este ano terá como tema ACELERANDO MUDANÇAS – SEJA A MUDANÇA QUE VOCÊ DESEJA VER NO MUNDO.


No momento em que é preciso defender os princípios estabelecidos pela Política Nacional de Recursos Hídricos e a importância do Sistema Nacional de Gerenciamento dos Recursos Hídricos – e seu aprimoramento – como base para uma Política de Estado onde a Gestão das Águas seja, de fato, uma prioridade e possua visibilidade institucional dentro das estratégias de governança, em novembro de 2023, Aracaju se torna a “Capital Nacional das Águas”, ao sediar, o XXV Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos (XXV SBRH), que acontece a cada dois anos e reúne profissionais, área acadêmica e sociedade para compartilhamento e discussão de assuntos relevantes da área.


Com o tema ÁGUA E SOCIEDADE: RESILIÊNCIA, INOVAÇÃO E PARTICIPAÇÃO, o simpósio abrange os recursos hídricos nas mais diversas esferas, abordando desde planejamento e gestão, processos hidráulicos, hidrologia urbana, até proteção de mananciais e recuperação ambiental de bacias, além de trazer para o debate as inovações e participação da sociedade, navegando pelos acontecimentos e relacionamentos com confiança e segurança.


Promovido pela Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRHidro), com apoio do Governo de Sergipe e entidades parceiras, o SBRH é o maior evento nacional na área de recursos hídricos e um dos maiores do planeta envolvendo todos com o tema: autoridades, pesquisadores, professores, estudantes, técnicos, profissionais liberais, empresários, fabricantes e comerciantes de equipamentos, usuários, gestores e tomadores de decisão. O Simpósio, a ser realizado de 19 a 24 de novembro de 2023, reunirá mais de três mil pessoas e tem como objetivo oportunizar o diálogo entre a ciência, a tecnologia, os setores produtivos e a comunidade.


Apesar de ser conhecido pelas belezas naturais, história e cultura o estado de Sergipe apresenta problemas recorrentes relacionados à escassez de disponibilidades hídricas, agravados pela elevada variação sazonal e plurianual de períodos chuvosos com as mudanças climáticas, fato que demanda avanços substantivos em termos da organização técnica e institucional para gestão dos recursos hídricos, como também, inversões significativas voltadas à infraestrutura para armazenamento e transporte de águas, tendo em vista seus múltiplos usos.


Esse cenário pode servir de inspiração para discussões científicas a serem disseminadas aos atores sociais, capacitando-os na busca de alternativas sustentáveis que possam auxiliar no desenvolvimento de políticas socioambientais e na gestão de recursos hídricos.


A cidade de Aracaju, localizada entre a foz do rio Sergipe e a do rio Vaza Barris é alimentada permanentemente por uma brisa morna vinda do Oceano Atlântico e foi uma das primeiras a ser planejada em todo o país. Suas ruas são projetadas de maneira geométrica e as atrações naturais são os principais atrativos com parques, praias, rios e manguezais. O Centro de Convenções AM Malls foi escolhido para sediar o evento por oferecer uma estrutura ampla e moderna, com excelente área de exposição e localização centralizada, próximo da rede hoteleira e de vários restaurantes. Sergipe está de portas e braços abertos para receber os participantes do XXV SBRH na bela Aracaju.


Por Ailton Francisco da Rocha Engenheiro Agrônomo, Advogado, Diretor de Recursos Hídricos da SEMAC/SE e Presidente da Comissão Organizadora do XV ENREHSE- Encontro de Recursos Hídricos em Sergipe e do XXV SBRH – Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos.


40 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page